Dados abertos no jornalismo

palestrantes Amanda Rossi, Giulliana Bianconi, Marco Túlio Pires

inscrições encerradas

categorias

{{ its_tabs[single_menu_active] }}

tema

Identificar a notícia de interesse público, esteja ela onde estiver, em documentos, planilhas ou numa conversa de gabinete, e trazê-la a conhecimento geral. Esse é o dever do jornalismo, que atualmente conta com ferramentas tecnológicas diversas e acessíveis que podem aprofundar as apurações. A premiada investigação do Panama Papers, por exemplo, precisou tratar mais de 2,5 terabytes de informação sobre esquemas de corrupção globais. Quase 380 jornalistas de vários países se reuniram para o trabalho, filtrando e dando forma ao conteúdo dos documentos vazados. E isso só foi possível com o uso de softwares livres para análise e visualização de dados.

Esse trabalho mostra a importância da colaboração no processo de validação da notícia. O leitor também pode ser um ator ativo no processo de construção e checagem do conteúdo. Dados abertos esgarçam os limites da transparência jornalística, dando ao leitor acesso direto à fonte da história. É para falar sobre isso que reunimos, em parceria com a revista Gênero e Número, três jornalistas com longa carreira na área. Afinal, qual o impacto do tratamento e da abertura de dados para a informação no século 21?

Nesta Varanda ITS, trouxemos três especialistas em jornalismo de dados para uma conversa franca sobre a prática.

Data: 27/10/2016

palestrantes

{{ pessoas.pessoaActive.title }}

×

vídeos

geral

geral

marco

amanda

giu

Quer sugerir uma ideia?

escolha o assunto das próximas conversas